Faça uma doação ao Blog PTlhando New's

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

@@@ Julian Assange aos brasileiros: por que confiar no WikiLeaks.


Em entrevista exclusiva aos internautas brasileiros, o fundador da ONG WikiLeaks, Julian Assange, ressaltou a credibilidade das informações — em geral, segredos de Estado — divulgadas no site da organização. Um dos fatores do crédito da ONG, segundo Assange, é seu caráter essencialmente público.



“O WikiLeaks é uma das organizações globais mais responsáveis que existem. Prestamos muito mais contas ao público do que governos nacionais, porque todo fruto do nosso trabalho é público. Somos uma organização essencialmente pública; não fazemos nada que não contribua para levar informação às pessoas”, afirmou.

O fundador do WikiLeaks enalteceu as contribuições que, a seu ver, a ONG presta à democracia e aos povos. “O livre fluxo de conhecimento de grupos poderosos para grupos ou indivíduos menos poderosos é também um fluxo de poder — e portanto uma força equalizadora e democratizante na sociedade”.

Para Assange, as manipulações da grande mídia internacional chegam a ser mais perigosas do que as manipulações dos chefes de Estado. Citando a Guerra do Iraque, “alavancada pela grande mídia dos Estados Unidos”, ele opina que “os interesses ou afiliações perniciosas da mídia e de seus donos permitem abusos por parte dos governos”.

Em contrapartida, Assange defendeu a polêmica pareceria entre seu site e órgãos da grande mídia para revelar segredos de Estado. “Trabalhamos com grupos de jornalistas ou de pesquisadores de direitos humanos que têm uma audiência significativa. Muitas vezes isso inclui veículos de mídia estabelecidos; mas também trabalhamos com alguns jornalistas individuais, veículos alternativos e organizações de ativistas, conforme a situação demanda e os recursos permitem”, afirmou.

A entrevista dos internautas com o fundador do WikiLeaks foi mediada pela blogosfera progressista. Cerca de 350 perguntas do público brasileiro foram encaminhadas ao blog cartacapitalwikileaks.wordpress.com, que selecionou 12 indagações a Assange. Confira abaixo a íntegra da entrevista.

Vários internautas: O WikiLeaks tem trabalhado com veículos da grande mídia — aqui no Brasil, Folha e Globo, vistos por muita gente como tendo uma linha política de direita. Mas, além da concentração da comunicação, muitas vezes a grande mídia tem interesses próprios. Não é um contrassenso trabalhar com eles se o objetivo é democratizar a informação? Por que não trabalhar com blogs e mídias alternativas?
Julian Assange: Por conta de restrições de recursos, ainda não temos condições de avaliar o trabalho de milhares de indivíduos de uma vez. Em vez disso, trabalhamos com grupos de jornalistas ou de pesquisadores de direitos humanos que têm uma audiência significativa. Muitas vezes isso inclui veículos de mídia estabelecidos; mas também trabalhamos com alguns jornalistas individuais, veículos alternativos e organizações de ativistas, conforme a situação demanda e os recursos permitem.

Uma das funções primordiais da imprensa é obrigar os governos a prestar contas sobre o que fazem. No caso do Brasil, que tem um governo de esquerda, nós sentimos que era preciso um jornal de centro-direita para um melhor escrutínio dos governantes. Em outros países, usamos a equação inversa. O ideal seria podermos trabalhar com um veículo governista e um de oposição.

Marcelo Salles: Na sua opinião, o que é mais perigoso para a democracia: a manipulação de informações por governos ou a manipulação de informações por oligopólios de mídia?
JA: A manipulação das informações pela mídia é mais perigosa, porque quando um governo as manipula em detrimento do público e a mídia é forte, essa manipulação não se segura por muito tempo. Quando a própria mídia se afasta do seu papel crítico, não somente os governos deixam de prestar contas como os interesses ou afiliações perniciosas da mídia e de seus donos permitem abusos por parte dos governos. O exemplo mais claro disso foi a Guerra do Iraque em 2003, alavancada pela grande mídia dos Estados Unidos.

Eduardo dos Anjos: Tenho acompanhado os vazamentos publicados pela sua ONG e até agora não encontrei nada que fosse relevante, me parece que é muito barulho por nada. Por que tanta gente ao mesmo tempo resolveu confiar em você? E por que devemos confiar em você?
JA: O WikiLeaks tem uma história de quatro anos publicando documentos. Nesse período, até onde sabemos, nunca atestamos ser verdadeiro um documento falso. Além disso, nenhuma organização jamais nos acusou disso. Temos um histórico ilibado na distinção entre documentos verdadeiros e falsos, mas nós somos, é claro, apenas humanos e podemos um dia cometer um erro. No entanto até o momento temos o melhor histórico do mercado e queremos trabalhar duro para manter essa boa reputação.”


Vermelho.org
Entrevista Completa, ::Aqui::

Nenhum comentário:

Postar um comentário