Faça uma doação ao Blog PTlhando New's

sábado, 14 de agosto de 2010

@@@ A imprensa equilibrista...




“Os jornais fazem a cobertura da campanha eleitoral com o pressuposto de que os leitores acreditam em sua isenção. Todos eles já publicaram notas e projetos especiais anunciando a determinação de produzir um jornalismo objetivo e equânime em relação aos principais candidatos, conforme seus posicionamentos nas pesquisas de intenção de voto.

No texto, tudo muito elogiável. Na prática, o que acontece é mais do mesmo e os favorecimentos de sempre.

Não há como escapar: a imprensa, de modo geral, é conservadora. Naturalmente conservadora, como o Vaticano, ou seja, com raras exceções, não se espere que, entre duas alternativas, o jornal escolha aquela que parece mais progressista.

A imprensa escolhe, recorrentemente, a alternativa que promete menos mudanças, menos surpresas e mais lealdade aos cânones que movem as empresas de comunicação. Um desses dogmas é a defesa do credo liberal segundo o qual o Estado deve se manter distante dos negócios.

Bem na foto

Assim, os principais jornais do país, aqueles que se supõem de circulação nacional, escolhem sempre, em qualquer instância, os candidatos que lhes parecem mais fiéis a esse credo liberal. No caso da disputa pela Presidência da República, os jornais parecem ter chegado à conclusão de que o candidato do PSDB, o ex-governador José Serra, tem esse perfil.

Com alguma sutileza, ou às vezes de maneira ostensiva, o noticiário sempre dá um jeitinho de colocar esse candidato em condição favorável na comparação com as duas adversárias que ele enfrenta.”



Luciano Martins Costa, Observatório da Imprensa
Artigo Completo, ::Aqui::

Nenhum comentário:

Postar um comentário